Recomendações Felicissimas #3

Que desculpa do caralho pra eu não ter que criar conteúdo de verdade né?

HUEHAUHEUAHUEHAUHE

Vamos lá pra algumas recomendações pro mês de Dezembro. Tentar achar algo bom com o que acabar 2016. Continuar lendo

Anúncios

Diário Premortem ACS 1 – A Concepção

Só pra manter a quantidade de conteúdo do blog mais recorrente, eu vou fazer diários Premortem dos jogos que eu estou desenvolvendo, e dividir com vocês as minhas frustrações, ideias, desenvolvimentos e conclusões, bem como aproveitar a oportunidade pra convidar-lhes pra alguns testes.

Eu estou desenvolvendo um RPG de mesa de horror chamado A Carta Selvagem, tomando como inspiração Dishonored, Darkest Dungeon, Dark Souls, Bloodborne, Mundo das Trevas clássico, Castelo Falkenstein, GURPS, AGE, Arkham Horror, Welcome to Nightvale, O Médico e o Monstro, e toda e qualquer coisa já escrita por H.P. Lovecraft e Edgar Allan Poe.

O jogo se envolve no relacionamento entre personagem e jogadore através de cartas que mostram e moldam os destinos das personagens, e onde inclusive a responsabilidade da narração pode ser dividida com jogadores.

Mas por mais que o jogo seja de horror, a concepção dele é uma história meio engraçada. Continuar lendo

Dragon Age Brasil e… A Manhã Virá de Novo?

Bom. Depois de muitos problemas técnicos e não tão técnicos, acho que agora vai.

Se você acompanha o blog faz tempo, você deve saber que AGE é meu sistema favorito, que eu narro Dragon Age RPG pros meus amigos, e a gente tem tentado compartilhar essas empreitadas na internet desde fevereiro. Com streams no twitch, vídeos no youtube, e até um site dedicado. Bom, se você tentou entrar no site recentemente, você deve ter notado um aviso com um link te redirecionando para um site chamado Dragon Age Brasil.

Long Story Short, Dragon Age Brasil e A Manhã Virá se tornaram um projeto só. Todos os meus textos sobre a lore de Dragon Age e sobre Dragon Age RPG podem ser encontrados lá agora. Assim como todos os seis episódios disponíveis de A Manhã Virá.

Isso significa que a gente vai ter que… Por falta de melhor termo em português… Get our shit together. Continuar lendo

The Game Awards 2016

Gente, o negócio é o seguinte. Eu queria, mas queria muito mesmo ficar animada com o The Game Awards desse ano. Mostrar pra vocês toda a celebração da cultura gamer em uma noite de festa do mesmo jeito que o ano passado.

Mas os Game Awards desse ano não passaram de uma propaganda gigante de 2 horas e meia.

3 anos atrás, quando Geoff Kieghley resolveu fazer isso sozinho, os TGA eram pra ser a antítese dos Spike Awards. Mas no final? Virou a mesma bosta desrespeitosa de sempre que só quer vender.

Os The Game Awards de 2016 tiveram o menor tempo de todas as edições dedicados a reais premiações. Todos os prêmios foram dados de forma muito rápida e muito inconsequente. E a maioria dos prêmios nem foram dados no palco do show! De todas as 24 categorias, só 12 receberam prêmios no palco! E algumas dessas categorias nem fazem sentido, tipo “melhor criação de fãs” ou “melhor estúdio/direção”.

Eu me sinto envergonhada, inclusive, de me animar pra tal evento. Que a partir desse ano será a mesma bosta que o spike era: Corporações multinacionais chupando o pau umas das outras.

O show teve 4 momentos genuinamente bons. Mas eles sendo esmagados continuamente pelo corporativismo desenfreado, perderam quase todo o seu valor.

A premiação foi tão patética que ninguém nem se incomodou em fazer gifs engraçados Continuar lendo