A Carta Selvagem: Procura-se Alpha Testers

Olá, pessoal!

Hoje eu vim fazer um post curtinho pra chamar vocês pra participar de uma rodada de testes do meu novo jogo A Carta Selvagem.

Ele é um RPG de “papel e caneta” cuja pira é que… Ele se joga como se fosse uma consulta de tarô. Continuar lendo

Anúncios

O Feitiço de Ser Sua Própria Melhor Amiga

Arte por kimbbq

Eu honestamente não sei por onde começar com isso. O hype passou.

Eu não tenho o que dize pra vocês, mas algo, dentro do âmago do meu ser, diz que eu devo. Eu tenho uma obrigação moral de vir até vocês, leitoras e leitores, que tem me acompanhado na minha jornada até aqui a dois anos, e dizer o que aconteceu comigo nestas últimas semanas.

Eu quis escrever esse texto a mais de uma semana atrás, mas eu acabei decidindo não escrever porque eu tinha “responsabilidades” para atender. Mas existe alguma responsabilidade maior nessa Terra sagrada do que a responsabilidade que eu tenho comigo mesma e meu próprio espírito?

Infelizmente minha noção de tempo é distorcida por vários acontecimentos. Na realidade, ela sempre foi, mas agora especialmente eu não tenho ideia de quando ou como certas coisas aconteceram.

Mas eu devo satisfação pra vocês (porque eu ando escrevendo pouco) e pra mim mesma.

aviso de conteúdo: depressão, suicídio, alucinações

Continuar lendo

Violências Lúdicas e Simulação de violências reais

Da última vez nós discutimos sobre o que é violência dentro de um jogo, o que são agentes, e como eles se interligam. E chegamos a uma semi-conclusão de que a pergunta “porque jogos são tão violentos”, por mais que não seja falaciosa, é mal direcionada.

Violência dentro de um jogo pode tomar várias formas que podem ou não ter a ver com violências nocivas que podemos ser obrigadas a enfrentar no mundo real.

É sobre isso que quero falar hoje. E sobre como essas violências es assemelham ou se diferenciam quando se manifestam em reinos lúdicos diferentes.

Pra entender esse post você vai ter que ler o seguinte:

Continuar lendo