Resenha: Blood Rage

PELAS BARBAS DE YMIR como eu amo mitologia nórdica e os povos da antiga Escandinávia e ao mesmo tempo odeio Vikings (sorta)!

Blood Rage é um jogo do caralho que trata de todos os aspectos mitológicos e culturais da vida Viking indo desde o favor dos deuses até saques de cidades aleatórias em ciclos de vida e morte que consistem o Ragnarok! E tem tudo que você esperaria de uma fantasia baseada em vikings: Desde bênçãos de Hel até saques de cidades vizinhas, apropriação cultural e mulheres de bikini-mail NO MEIO DA NEVE.

Eu amo esse jogo e detesto ele ao mesmo tempo. Vamos falar de Blood Rage.

Eu amo vikings e a cultura viking e tudo que tem a ver com vikings e eu me odeio muito profundamente por gostar tanto deles assim.

Eles eram um povo majoritariamente “imoral” que só não da pra chamar de machista porque as mulheres eram tão tóxicas e violentas quanto os homens. A noção de paz era terrível para eles (até o século 11), que adoravam Deuses que estavam em guerra constantemente e todos eles falavam sobre guerrear, guerrear e guerrear.

Talvez eles sejam tão legais assim porque foram o povo que mais demorou pra se converter pro cristianismo na Europa, porque Cristo, pra eles, era um Deus frouxo dos “viadinhos” do sul – roubando gírias de tempos modernos.

E a literatura de ficção só deixa os vikings mais atraentes ainda. Vocês já viram aquele seriado Vikings do History Channel?! Caramba! É muita gente gostosa por metro quadrado. Supera Once Upon a Time.

Nórdicos nunca chegaram a criar grandes impérios antes do cristianismo apesar das suas proezas militares porque eles não davam uma foda pra governos, unificações e nem pros próprios reis. E o objeto central da maioria das culturas nórdicas e escandinavas era lutar pelo bem de lutar, ficar muito muito ricos e provar a superioridade do seu clã (não reino) por força bruta; enquanto o resto da vida nórdica girava ao redor do favor dos Deuses através de sacrifícios, e tradição oral, como a maioria dos povos pagãos da Europa. Isso tudo é refletido pelas mecânicas principais de Blood Rage.

Blood Rage não é um Eurogame por qualquer definição do termo. É um jogo particularmente violento e dinâmico que reflete principalmente o quanto vikings não estão nem aí pra qualquer tipo de política.

Em Blood Rage, você escolherá uma tribo de guerreiros vikings para saquear Midgard enquanto acontece o Ragnarok.

Seu objetivo, então é conseguir recursos? Quem sabe território? Ou tirar os adversários de jogo?

HAH! É o Ragnarok, meu irmão! Todomundo já morreu! Quem liga pra comida ou pessoas? Seu objetivo é unica e exclusivamente conseguir a GLÓRIA de morrer e matar em nome de Odin, Freya, Hel, Loki ou qualquer que seja o Deus de sua preferência.

Existem várias formas de conseguir glória, mas todas essas formas envolvem a morte de alguém – ou de pessoas de uma cidade saqueada no tabuleiro, ou dos guerreiros adversários, ou dos seus próprios guerreiros.

Começando a falar no tabuleiro. Ele existe. Mas ninguém controla ele nem se quer um pedaço dele. E não é ter seus bonequinhos em uma área que quer dizer que você controla essa área. Bonequinho no tabuleiro só representa se você pode tretar com outro bonequinho ou não. O tabuleiro desse jogo não é um mapa de Europa Universalis, e sim uma jaula de MMA.

Os combatentes lutarão pelo saque de cidade e das suas próprias vidas. E bem como numa jaula de MMA, eles podem pedir ajuda da platéia para que jogue alguma coisa por cima da grade para ajudar na luta. Só que nesse caso a platéia são Deuses, e os objetos são cartas que representam favores mágicos ou tecnológicos para os seus guerreiros.

As cartas são distribuídas em forma de Draft, e eu particularmente gosto muito de draft nesse tipo de jogo pois cria uma dinâmica próxima de dividir estratégia e sorte igualmente.

As cartas são extremamente bem desenhadas e escritas. Todas as mecânicas tem relação direta com os temas comuns da mitologia nórdica e todas oferecem vantagens reais para a batalha – enquanto outras nem tanto para manter o aspecto de “foder o amiguinho” na hora do draft. Mas mesmo as cartas pouco úteis tem algum semblante muito próximo de algum aspecto da cultura nórdica.

Na realidade, em questão de consistência cultural, eu só tenho problema com uma carta… E um clã. E o fato de que você joga com clãs torna esse último um pouco difícil de engolir.

Encontre o erro na imagem acima.

Por algum motivo tem um monstro gigante com roupas que misturam símbolos Maias com símbolos Incas.

Eu acho que a ideia dos desenvolvedores por trás dessa unidade – que pode ser recrutada através de cartas – vem da ideia dos gigantes de fogo de Muspellheim e de que se algum dia vikings chegaram na América Central eles devem ter experimentado o que imaginam ser o calor da Terra de Fogo.

O problema é que não existe nenhuma evidência de vikings chegando tão longe ao Sul assim e tendo qualquer contato com maias ou astecas (e quem dirá incas). Pra mim a existência dessa peça no jogo indica um sintoma de um problema da nossa cultura nerd branca de alienizar e então fetichizar culturas meso-americanas.

As peças não vem pintadas no jogo original

O próximo problema é o clã das serpentes…

PUTA QUE PARIU, ACHEI QUE A GENTE JÁ TINHA PASSADO DA FASE DAS BIKINI MAILS E ENTRADO NA FASE DAS JAQUETAS DE COURO, YOU GUYS!

Em compensação as peças são todas muito em feitas e bem trabalhadas. O tabuleiro é lindo, o manual é extremamente bem escrito e as cartas, apesar de pequenas e boa sorte achar sleeve pra elas, são de boa qualidade artística e produtiva também.

Blood Rage é um jogo extremamente bonito, com temas e mecânicas interessantíssimas pra entusiastas da cultura nórdica e viking em particular.

Ele não é rápido, mas é tão dinâmico e as coisas acontecem num ritmo tão acelerado que você nem vai ver o tempo passar. E é tão estupidamente divertido ver o seu contador de glória dando duas voltas no tabuleiro que chega a ser uma sensação difícil de descrever sem parecer extremamente pedante (e isso provavelmente vai acontecer em Blood Rage).

Agora vale o preço de 300+ reais? Como esse é todo o dinheiro que eu recebo em 1 mês, e ele não pode ser jogado sozinho, nunca. Mas o valor de locação com certeza.

Meu veredito pra Blood Rage é:

Ljosalfr Sorridente / 10

Anúncios

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s