Good Byeoware!

As apostas estão abertas!

E os dias estão contados.

O ano fiscal de 2018 é o ano em que a Bioware é devorada pela Destruidora de Estúdios. E todomundo sabe disso.

EA é a Grande Destruidora. Sempre que um estúdio deixa de ser útil para as suas ambições, esse estúdio precisa ser apagado. Ele será fechado sem aviso e sem cerimônia e dificilmente alguém notará sua ausência até que seja tarde demais.

Entre as vítimas da EA estão estúdios aclamados como Maxis, Bullfrog, Criterion Games, Pandemic e Black Box. Assim como a mais nova vítima das mandíbulas da Electronic Arts, Visceral Games. Que vocês devem conhecer como os criadores do aclamado Dead Space e não muito mais do que isso.

O padrão é claro. A EA encontra uma nova forma de explorar sua clientela e força o estúdio a fazer parte dessa exploração. Quando o jogo resultado disso recebe a repercussão negativa que ele obviamente conseguiria, ela fecha o estúdio ou une ele com algum outro, deixando pessoas sem emprego no processo.

A BioWare é um estúdio guerreiro! Eles tem recebido essa repercussão negativa desde 2012 com o lançamento de Mass Effect 3 que teve um final desapontador e um modo multiplayer que honestamente nada tinha a ver com o jogo em si. E esse modo multiplayer de ME3 inclusive já tinha o que nós hoje estamos chamando de “Loot Boxes” e sistemas pay to win, em um jogo que já custava mais de 200 reais pra simplesmente comprar.

Dragon Age Inquisition tinha o exato mesmo problema com o multiplayer, mas não teve tanto problema assim porque a experiência principal continuava sendo a história do modo single player. Mas esse comprometimento com jogos focados em histórias solo logo seria danificado com o foco do estúdio sendo mudado pela EA para um novo projeto que na época se chamava Dylan e hoje nós sabemos se tratar do novo jogo Anthem.

E esse é o primeiro problema com Anthem. Ele existe.

Porque isso é um problema? Bom, porque o desenvolvimento do quarto Mass Effect iria para outro estúdio.

Mass Effect Andromeda, o quarto jogo na série, foi desenvolvido por um grupo de novatos em um estúdio longe da sede original da BioWare. Era um grupo novo chamado de BioWare Montreal.

Mass Effect Andromeda foi lançado em 21 de Março de 2017 em um estado de PÉSSIMA qualidade, claramente inacabado e apressado para ser lançado o mais rápido possível por uma equipe que não sabia direito o que estava fazendo.

O nome Mass Effect ficou manchado para sempre depois desse lançamento e a BioWare Montreal fechou apenas 5 meses depois do seu primeiro título.

Enquanto isso uma série de desastres acontecia com o time principal da BioWare. Começando pelas demissões de Aaryn Flynn – Diretor Chefe de Anthem –  e David Gaider – roteirista de Dragon Age. E finalizando tragicamente com a morte de Corey Gaspur. Lead Designer de Anthem.

O segundo grande problema de Anthem, é que ele não é o tipo de jogo que a BioWare sabe fazer. Anthem será um jogo de “serviço contínuo”, na mesma veia que Destiny. Na realidade ele é tão parecido com Destiny que estão chamando ele de Destiny Killer, como se todomundo fosse migrar pra esse jogo novo simplesmente porque é um jogo com a marca da BioWare desenhada na sua traseira.

Anthem é um jogo jogo online que não terá o mesmo foco em história que a trilogia original de Mass Effect e Dragon Age tiveram. Pois lembrem-se, este é um jogo feito a partir de todas as novas filosofias de uma publicadora  que já disse publicamente várias vezes que jogos singleplayer estão mortos. Pois ela não liga pra o que vende mais, e sim para o que dá mais lucro. E por enquanto, tirar dinheiro dos clientes com serviços contínuos que exigem gasto contínuo de dinheiro parece bem mais lucrativo pra EA do que vender jogos bons.

O objetivo da EA é claro aqui. Criar um jogo online onde só é possível progredir investindo muito mais tempo no jogo do que qualquer pessoa nessa Terra tem, ou investindo dinheiro. E isso não vai dar certo.

Caso você viva numa caverna e não esteja sabendo do mais recente escândalo do mundo dos videogames, deixa eu te informar bastante brevemente:

Star Wars Battlefront 2 foi o último lançamento de um dos estúdios da EA, e o jogo que custa mais de 80 dólares americanos para ser comprado foi preenchido até a boca com micro-transações como se fosse um jogo grátis de celular. E como se isso não fosse o suficiente, essas micro-transações são feitas por meio de “loot boxes” que são uma prática semelhante a máquinas de caça-níquel que usam o seu dinheiro de verdade pra te dar vantagens no jogo ou dinheirinhos de mentira que permitem que você gaste ainda mais do seu dinheiro de verdade pra tentar conseguir mais vantagens para ti dentro do jogo.

Esse último foi um escândalo porque 1- É Star Wars e todomundo estava esperando um jogo muito melhor quando tem o nome de Star Wars.

2- Ninguém aguenta mais a indústria de videogames sugando nossas carteiras até o último centavo com porcarias como season passes e micro transações.

3- A história agora está envolvendo legisladores na Bélgica, nos Estados Unidos e na Austrália tentando proibir esse tipo de prática de acontecer em jogos que possam ser vendidos para menores de idade.

O pouco de boa fé que a EA tinha com sua clientela foi perdido com essa história. E quem vai pagar por isso? Exatamente. A BioWare.

Pois Anthem é um jogo que está sendo feito claramente com as micro transações em mente. Ninguém vai querer ter nada a ver com as micro transações da EA depois dessa. E Anthem está danado a “fracassar” (nos termos que a EA determina um fracasso, que é só alguns milhões de vendas a menos do que o absurdo esperado normalmente).

E quando isso acontecer, a BioWare será fechada, exatamente da mesma força que aconteceu com a Visceral Games e as micro transações que foram forçadas dentro do seu Dead Space 3.

E é muito triste, pra mim pelo menos, ver um estúdio que eu admiro tanto ter a sua cova já preparada. Dragon Age é minha franquia favorita. E eu queria pelo menos ver Dragon Age 4 saindo antes de dizer adeus.

Mas é improvável que um dia vamos ver Dragon Age saindo de novo. Tudo está nas mãos de Anthem. E com todas as demissões e controvérsias, essas mãos são frágeis demais pra aguentar mais um ano em pé.

A EA infelizmente não vai pra lugar nenhum. Mas da BioWare acho que já podemos começar a nos despedir.

Good ByeoWare. Foi um prazer jogar os seus jogos.

Vocês acham que a BioWare fecha no ano fiscal de 2018 ou eu estou sendo dramática e vai ter um Dragon Age 4 sim?

Me falem nos comentários.

E obrigada Beto Thiago Alves, nossa Bruxa da Floresta do Norte, por financiar esse blog! E a todomundo que ajuda no Patreon.

Eu não vou mais precisar trocar de serviço de financiamento, então, yay!

Quer ajudar o blog a crescer? Dá uma força no Patreon ou faz uma doaçãozinha via paypal que ajuda pra caramba.

Até mais. Amo vocês.

Anúncios

Um comentário sobre “Good Byeoware!

  1. afroditeohki disse:

    Minha única pontinha de esperança é que eu vi, poucos meses atrás, vagas de emprego na Bioware “pra franquia Dragon Age” (na descrição das vagas), e eram vagas pra diversas posições de criação de jogos.

    … Mas se for pra fazer cagaço cheio de microtransação e matando a alma da franquia, prefiro que morra antes e eu fique nas fanfics mesmo.

    Curtir

Comente!

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.